Pular para o conteúdo principal

A SEQUÊNCIA DIDÁTICA COMO PARTE DO PROJETO DE ESTUDOS

Este artigo é uma continuidade das questões apresentadas em "Projeto de Estudos: Implicações no processo de constituição da consciência crítica".

Refletindo sobre Sequência Didática
Ana Maria Louzada
             
Na tentativa de demarcar uma nova proposta de organização do trabalho pedagógico, bem como de romper com as proposições ora intituladas de projetos de trabalho e/ou pedagogia de projetos, alguns teóricos vêm indicando a sequência didática, como forma de organização do trabalho a ser realizado no lócus da escola. Nesse sentido concebem o projeto e a sequência didática como propostas diferentes.

Observamos também, proposições de organização do trabalho pedagógico por meio de projetos como sinônimo de sequência didática. Assim, temos nos deparado com propostas ora intituladas de sequência didática, ora de projeto didático, e, ainda em determinadas situações de atividades.

Percebemos ainda, que dependendo das questões abordadas, o foco está na técnica realizada, no passo a passo da sequência didática e, em outras situações o foco está no processo em si. Tais práticas evidenciam que os trabalhos propostos são planejados para as crianças, revelando que as mesmas veem se constituindo nesse processo como meras executoras.

Buscando refletir sobre essas questões, destacamos que a sequência didática não está desvinculada do que propomos como projeto de estudos. Isso porque, quando se desvincula essas duas dimensões da organização do trabalho pedagógico, corremos o risco de excluir a criança do processo de produção, apropriação e objetivação dos conhecimentos, bem como, de perpetuar as práticas que desconsideram as crianças como sujeitos de direitos: com direito a vez e voz, com direito de se inserir no processo de planejamento, implementação e avaliação do trabalho pedagógico.

Um projeto de estudo precisa ser sonhado, planejado e projetado na perspectiva de uma gestão pedagógica compartilhada, de forma que as crianças possam ter ciência de quais conhecimentos se fazem necessários, bem como quais objetivos e metas precisam alcançar no decorrer da sua implementação. As crianças precisam atuar de forma consciente e não como meras executoras de tarefas escolares.

E ainda, um projeto de estudos requer organização didática das diferentes e diversas situações de ensino aprendizagem, visando melhor produção, apropriação e objetivação dos conhecimentos. Um projeto de estudo, pressupõe a articulação dos conhecimentos cotidianos e científicos a serem trabalhados num dado tempoespaço pedagógico.

Para a implementação desses conhecimentos, é fundamental uma sequência de situações de ensino aprendizagem, que respondam as questões de estudos do projeto, com vistas a alcançar os objetivos e as metas planejadas. Por isso, essa sequência de situações de ensino aprendizagem se revela uma sequência didática. 

Dessa forma, torna-se necessário refletir sobre as especificidades de um projeto de estudos e de uma sequência didática, sem perder de vista os seus pontos em comum. Para tanto, destacamos que: 


Projeto de Estudos - Constitui uma sequência de atividades, a serem realizadas no decorrer de um dado período, visando produção, apropriação e objetivação dos diferentes conhecimentos planejados, implementados e avaliados de forma compartilhada com e pela comunidade escolar, incluindo a participação efetiva das crianças/estudantes.

Sequência Didática - Constitui parte do projeto de estudos, tendo em vista a importância de o mesmo ser organizado numa sequência de atividades envolvendo uma organização didática e pedagógica.

Ao delinearmos que a sequência didática constitui uma organização do trabalho pedagógico, uma organização do projeto de estudos, devemos considerar que na organização de uma sequência pressupõe considerar as questões de estudos, o objetivo geral, as metas, a metodologia mais adequada na/para a implementação das atividades, bem como das situações de ensino aprendizagem, da avaliação e principalmente a participação efetiva das crianças nos diferentes temposespaços de planejamento, implementação e avaliação dos estudos realizados.

Vale ressaltar que atividades nesse contexto, não significam tarefas escolares. Ao tratarmos de atividades estamos nos remetendo à ideia de prática social e cultural. Uma atividade é uma possibilidade de viver experiências diversas que promovam a compreensão dos conhecimentos estudados e, para tanto exige produção, apropriação e objetivação desses conhecimentos. Uma atividade exige interação entre o “eu e o outro”, exige interlocução, pressupõe experiência concreta e compartilhada. Uma atividade pressupõe necessidade real, objetivo real, motivo real. Enfim, pressupõe interlocutor real.

Nesse sentido, para a implementação de um projeto de estudos, é importante a realização de diferentes e diversas atividades, que por sua vez exigem ser vivenciadas por meio de significativas sequências didáticas, cujo passo a passo constituem as situações de ensino aprendizagem.

Como podemos ver, não dá para considerar sequência didática e projetos de estudos, de forma dicotômica e nem como sinônimos, mas sim como dimensões da organização do trabalho pedagógico que se articulam de forma dialética. As sequências didáticas promovem a implementação das atividades a serem vivenciadas no decorrer de um projeto de estudo, revelando que um projeto de estudo, exige significativas atividades organizadas numa sequência didática, de forma que se garanta coerência entre os conhecimentos a serem discutidos num processo de interlocução entre os mesmos. E ainda, que instigue o planejamento coletivo, no cotidiano das relações pedagógicas.

Ao considerarmos a sequência didática como parte que integra o projeto de estudos, devemos reconhecer a importância da participação das crianças no decorrer do planejamento, implementação e avaliação da mesma. Significa reconhecer as suas reais necessidades e interesses, tendo em vista a nossa corresponsabilidades com o seu desenvolvimento e a sua emancipação.

Tais questões revelam que não é prudente planejar uma sequência didática para as crianças atuarem como meras executoras. Não dá para desvincular as atividades e as situações de ensino aprendizagem a serem vivenciadas das reais necessidades das crianças com as quais estamos trabalhando.

Na organização do trabalho pedagógico por meio de projetos de estudos, os conhecimentos a serem organizados numa sequência didática, precisam ser discutidos, refletidos e analisados coletivamente, de forma que as crianças e a comunidade escolar aprendam a consensuar e externar as suas idéias, desejos e reais necessidades. E ainda, não basta estarmos atentos apenas ao/no processo, é fundamental estabelecermos metas, no sentido de garantir resultados importantes. Esses resultados constituem a objetivação dos conhecimentos produzidos e apropriados no lócus da escola em consonância com o cotidiano das práticas sociais e culturais da comunidade.

Isso significa que a/o professora/professor como autoridade nesse processo, ensina, administra, delega funções com/entre as crianças, com/entre a comunidade escolar, dá pistas no processo de apropriação dos conhecimentos, faz junto, cobra, enfim, coordena todo o processo com rigor sem perder a delicadeza do humano, do amor e da inclusão de todas e todos, inclusive de si mesma/mesmo.

Postagens mais visitadas

DETALHANDO A SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Este artigo faz parte das reflexões sobre a concepção de Projeto de Estudos, Sequência Didática e Atividades que constam nos artigos que publicamos anteriormentenesse blog.

- Projeto de Estudos: Implicações no Processo de Constituição da ConsciênciaCrítica;
- A Sequência Didática como parte do Projeto de Estudos
- Atividades Significativas: Possibilidades de Experiências Concretas e Reais.

 Sugerimos a leitura dos referidos artigos antes de refletir sobre as questões que apresentamos a seguir.

SITUAÇÃO DE ENSINO APRENDIZAGEM
Ana Maria Louzada
Para que possamos compreender o que significa Situação de Ensino Aprendizagem (SEA), necessário se faz retomarmos e destacarmos o conceito de projeto de estudos, atividade e sequência didática.

Nesse sentido, o projeto de estudos seria a organização macro de uma temática de estudos num processo de interlocução com/entre diferentes áreas do saber. Com base nos objetivos e metas de um projeto de estudos destacam-se as atividades a serem implementadas e que…

QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: Questões para Pensar!

Nesse post destacamos algumas reflexões sobre a Qualidade da Educação Básica.

Esse é um tema que precisa ser discutido e debatido exaustivamente no lócus das secretarias de educação, das escolas/sala de aula e das comunidades, tendo em vista a importância da participação de todos e todas na garantia da qualidade que tanto almejamos.

Sabemos dos desafios postos pelas Políticas Educacionais, mas entendemos que o contexto em que vivemos exige tomadas de decisões que levem em consideração a formação das crianças, dos adolescentes e jovens do nosso país. 
Clique Aqui para baixar em PDF
Clique Aqui para ver em Slideshare

PROJETOS DE ESTUDOS: Implicações no Processo de Constituição da Consciência Crítica

Ana Maria Louzada
A proposta de organização do trabalho pedagógico por meio de Projetos de Estudos tem como premissa básica a constituição de sujeitos com consciência crítica. Se constituir com consciência crítica, é a meta principal. Para tanto, necessário se faz romper com as práticas pedagógicas que insistem em considerar a criança um ser inacabado; ou um ser que se basta no processo de aprendizagem e desenvolvimento, e, ainda, não dá para continuarmos com práticas em que as crianças são vistas como meras executoras.

O Projeto de Estudo, como o próprio nome já diz, precisa ser planejado, sonhado, registrado e sistematizado de forma compartilhada. E em se tratando de projetos para estudos, implica em ser detalhado no sentido de garantir às crianças/estudantes, a produção, a apropriação e a objetivação dos conhecimentos, num processo de interlocução entre o conhecimento cotidiano e o conhecimento científico.

Isso significa dizer, que o seu detalhamento exige uma organização didática, na…